Ao que tudo indica, já estamos em 2011.

A única grande mudança que eu sinto nas mudanças de ano, é que nos primeiros meses sempre erro a data e coloco o ano anterior.

Fora isso, estou mais velha. (Continuo igualmente pobre.)

Talvez menos Pollyanna. Acho que tenho perdido um pouco a cada ano…

Eventualmente tudo o que vou ter é a realidade. Nada pior que a realidade. (Não sei como alguns vivem só com realidade.)

Gosto da ideia de acreditar convictamente em coisas semi-impossíveis…

Gosto de pensar que ir pra Itália em Setembro é apenas escolher de onde minha viagem começa.

Gosto mais ainda de achar que (quase) sempre tudo vai dar certo, mesmo sabendo que às vezes não vai.

Ano, se achegue. Se junte aos outros aqui. Ignore aquele outro no fundo. (Resolvi pular aquele e não o conto como fazendo parte de mim.) Há quem diga que eu tenho um ano a mais. Eu digo que tenho um a menos. Não o vi passar e acho que deva ficar lá.

Que esse ano eu tenha menos realidade que ano passado… E que as pessoas sejam um pouco mais Pollyannas…

Anúncios